Cuidado de ouvido

Causas e diagnóstico da surdez infantil


A surdez infantil pode comprometer seriamente o desenvolvimento emocional, cognitivo e social da criança. Por isso, é importante que o seu diagnóstico seja feito o mais cedo possível para que o trabalho de estimular a comunicação entre o bebê, seus pais e seu ambiente comece o mais cedo possível e tenha um efeito rápido no seu desenvolvimento.

O diagnóstico precoce da deficiência auditiva em bebês permite iniciar o tratamento antes dos 6 meses, evitando distúrbios de linguagem e favorecendo o desenvolvimento neuropsicológico da criança.

Existem muitas razões pelas quais uma criança pode nascer surda. Além de fatores hereditários, durante a gravidez algumas complicações ou comportamentos maternos podem levar a um bebê com problemas auditivos. Se a futura mãe toma medicamentos ototóxicos ou contrai doenças como rubéola, toxoplasmose ou gripe, o bebê pode ficar surdo.

No parto, sofrimento fetal ou prematuridade são fatores de risco. O trabalho de parto difícil e prolongado também pode predispor a criança à surdez. E depois do nascimento, patologias como otites, caxumba, sarampo ou meningite podem causar danos ao ouvido, sem esquecer os efeitos adversos de alguns medicamentos.

Na Espanha, a Comissão para a Detecção Precoce da Perda Auditiva recomenda que todos os recém-nascidos sejam testados para triagem auditiva. A detecção da perda auditiva no recém-nascido é um teste simples que não causa desconforto. Deve ser feito enquanto o bebê está calmo ou dormindo. O comum é fazer o teste entre 12 e 48 horas de vida, antes de sair da maternidade. Em qualquer caso, deve ser feito no primeiro mês de vida.

No passado, a surdez infantil era facilmente detectada apenas a partir dos 2 ou 3 anos de idade, quando os sintomas eram claros e havia sinais óbvios de que a criança tinha alguma dificuldade auditiva. No entanto, atualmente a surdez infantil pode ser diagnosticada dentro de alguns dias de vida do bebê. Isso seria possível através de um teste chamado otoemissões acústicas.

Consiste em avaliar a resposta do bebê a determinados estímulos auditivos, por meio de um aparelho que emite um som que provoca a produção de uma espécie de eco que é analisado e avaliado para dar uma resposta positiva ou negativa ao teste. É aconselhável manter o bebê calmo para o teste.

O diagnóstico precoce da deficiência auditiva permite que o tratamento seja iniciado antes dos 6 meses, evitando alterações de linguagem e favorecendo o desenvolvimento neuropsicológico da criança. O diagnóstico precoce da audição é feito por meio de exame audiométrico, principalmente quando há suspeitas em situações como: parto de alto risco, casos de surdez hereditária, casamento entre pessoas da mesma família (consanguinidade), gravidez acompanhada de rubéola, e casos de meningite após o nascimento.

O fonoaudiólogo é o especialista que fará o diagnóstico e a solução do problema. A surdez ou perda auditiva infantil é atualmente um problema que pode ser evitado na maioria dos casos graças aos avanços da tecnologia e da medicina. O segredo é fazer um diagnóstico rápido. O diagnóstico precoce da surdez infantil é fundamental para uma boa reabilitação.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Causas e diagnóstico da surdez infantil, na categoria Cuidados com a orelha no local.


Vídeo: SURDEZ INFANTIL: causas, diagnóstico, tratamento e fatores de risco! (Outubro 2021).