Linguagem - Fonoaudiologia

Dislalia infantil em crianças a partir dos 4 anos de idade


As dislalias infantis são alterações na pronúncia de um ou mais fonemas, seja pela ausência ou alteração de alguns sons específicos da fala, seja pela substituição destes por outros. Essas alterações chamam a atenção quando duram mais de quatro anos, pois até então aparecem com muita frequência e fazem parte da aquisição da linguagem das crianças quando aprendem a falar.

O psicopedagogo Ana carballal, especialista em Atenção precoce, estabelece nesta entrevista quais são os aspectos normativos relacionados ao aprendizado da língua da língua e o que pode nos fazer suspeitar de uma dislalia infantil em crianças a partir dos 4 anos.

O que é dislalia infantil?
A dislalia ocorre quando a criança está aprendendo a falar, é uma incapacidade de aprender certos fonemas e ser capaz de reproduzi-los. Ocorre quando a criança não consegue pronunciar corretamente os sons da fala, considerados normais de acordo com sua idade e desenvolvimento. Uma criança com dislalia geralmente substitui uma letra por outra ou não pronuncia consoantes. Por exemplo: diz mai em vez de milho e tes em vez de três.

Como a dislalia pode ser detectada em crianças?
São crianças que têm dificuldade em aprender certos fonemas e então o que causam são erros de omitir o fonema ou substituí-lo por outro por não conseguir pronunciá-lo. Normalmente tendem a ser erros normais de desenvolvimento, que todas as crianças causam quando estão aprendendo a falar, mas no caso da dislalia esses erros permanecem por mais tempo do que o esperado para sua idade de desenvolvimento e crescimento. Então falamos de dislalia que pode aparecer entre 3 e 5 anos, mas geralmente não é diagnosticada até os quatro anos por esse motivo.

Que características apresentam as crianças com dislalia?
As dislalias são as mais comuns e conhecidas de todas as perturbações da linguagem. As crianças cometem uma série de erros na articulação dos sons da fala (como substituição, distorção, omissão ou adição) no início, no meio ou no final das palavras, tanto na linguagem coloquial quanto na repetição desses sons quando recebem um modelo de palavra que os contém, geralmente têm mais de quatro anos e, geralmente, não há evidência ou diagnóstico de perda auditiva, distúrbios neurológicos, deficiência mental ou alteração da linguagem.

Quais são as dislalias mais comuns em crianças?
A dislalia funcional costuma ser a que mais vemos em crianças que estão aprendendo a falar e se refere ao fato de não haver deficiência física para aprender aquele fonema, simplesmente que as crianças não sabem o ponto e o modo de articulação do fonema, mas não há nada que fisicamente o impede de pronunciá-lo.

Quais erros de pronúncia são mais recorrentes em crianças?
As dislalias mais frequentes costumam ser o sigmatismo, que é a pronúncia errada do fonema 's', são as crianças que a gente vê que ceceia além do esperado. Rotacismo, que seria a falha no fonema 'r', lambdacismo, que é o defeito no fonema 'l', deltacismo, que são problemas com fonemas muito semelhantes que são 'b' e 'p' ou com o 'd' e o 't'.

A partir de que idade é aconselhável levar a criança ao fonoaudiólogo?
Se percebermos que os erros de pronúncia não desaparecem aos 4 anos, devemos consultar um fonoaudiólogo e antes dos 4 anos, se percebermos que são erros que fazem com que a criança seja mal interpretada ou que interfiram. em sua capacidade de se comunicar ou está interferindo em outras áreas, também devemos consultar.

Você pode ler mais artigos semelhantes a Dislalia infantil em crianças a partir dos 4 anos de idade, na categoria Idioma - Fonoaudiologia presencial.


Vídeo: Criança de 3 anos. Como estimular o desenvolvimento (Setembro 2021).