Escrevendo

O grande desafio da criança com dislexia para a escrita


Como se sente uma criança com dislexia quem deve fazer um teste de redação? E aquele pai ou mãe que tem dislexia não trabalhada, que em algum momento deve escrever alguma indicação ou justificativa um tanto complexa e tem esse desafio que pode significar enfrentar uma fraqueza? Quais serão as ferramentas que o ajudarão e o colocarão na vanguarda para superar nossos próprios limites? É um desafio!

Diante de todas essas perguntas, não posso deixar de pensar em um momento que ainda ecoa na minha memória.Nunca imaginei ser capaz de tal conquista: 500 quilômetros percorridos entre Argentina e Chile, portando um evidente excesso de peso e com pouco preparo físico adequado para esta atividade. Mas como se tratava de um projeto e com uma ideologia fundada por uma comunidade de duzentos jovens à qual aderi até hoje, esses inconvenientes não foram pretextos para não o conseguir. E consegui fazê-lo apesar das mil dores, cãibras, bolhas e - naturalmente - da clara intenção de demitir-me num daqueles dias difíceis.

Quais foram as causas que permitiram essa conquista? Um foi o acompanhamento tanto do meu companheiro - que me apoiou e encorajou diariamente quando nos contactámos -, amigos que estiveram presentes na actividade e o vínculo que existiu entre este grupo de jovens com a ideologia dessa actividade. Se não houvesse aquela relação entre objetivo claro, vontade pessoal e acompanhamento; Teria sido impossível para mim chegar ao destino que nos foi estabelecido.

Algo assim crianças com dislexia podem sentir quando eles têm que enfrentar um exame ou um trabalho escrito. Eles sentem que precisam enfrentar suas fraquezas para ter sucesso.

Em primeiro lugar, temos que reconhecer entre dislexia e disgrafia, visto que embora sejam geralmente semelhantes; cada um tem características e ferramentas próprias para trabalhar e fortalecer a pessoa. Se não fizermos essa diferenciação, as estratégias utilizadas não serão úteis, na verdade, elas nos atrapalharão em nosso objetivo ou meta pessoal. Com base nas ideias apresentadas pela especialista Kate Kelly, podemos juntos começar a detalhar algumas estratégias simples e diretas. O que é dislexia e disgrafia:

- Disgrafia
É importante definir a disgrafia como uma dificuldade de aprendizagem que assume a forma de um incômodo no ato físico de escrever. Ou seja, o ato específico de pegar um lápis e fazer o movimento da escrita.

- dislexia
A dislexia é uma dificuldade de leitura que apresenta as seguintes dificuldades na escrita: erros gramaticais e ortográficos, dificuldade em soletrar a palavra, dificuldade em memorizar palavras conhecidas a olho nu.

Neste post, queremos nos concentrar na dislexia. Que estratégias posso sugerir para lidar com a escrita? Gostaria de destacar nesta ocasião quatro que podem ser simples, mas eficazes.

- Notas, textos e parceiros de suporte
Como não lembrar quando em uma apresentação oral tínhamos aquele cartão ou papel que nos sustentava? Por que não usar o mesmo para escrever? Frases feitas para iniciar, continuar ou terminar um texto, o uso de conectores básicos ou outra fórmula que ajude na escrita podem salvaguardar aquele momento particular.

Dentro do mesmo, se tiver dúvidas ortográficas, consulte através dos diversos aplicativos em mãos, ou o sempre clássico mas eficaz dicionário. Mesmo um amigo ou parceiro em quem você confia e que pode ler seu texto, relatório ou documento sempre ajuda; porque o outro olhar sempre contribui porque vê aspectos que não se pode apreciar.

- Tenha uma estrutura básica em suas frases
Você se lembra daquelas aulas de gramática básica? Uma estrutura básica dentro da frase era ter um sujeito, verbo e seu predicado. Simples e eficaz. Essa simplicidade é aplicada a textos escritos. Prepare textos simples, sem complicar a mensagem. Isso ajuda no desenvolvimento de uma ideia.

- Dê a si mesmo mais tempo
Embora pareça óbvio, ainda é importante reforçá-lo. Não tenha pressa, não tenha pressa, não entre nessa máquina do imediatismo. Reserve um tempo para pensar que vai escrever e deixe essa simplicidade fluir por meio de uma boa pausa.

- Identificação com o objetivo, compromisso com seus propósitos e vontade no exercício
Embora sejam os últimos, são os mais importantes. Se não há desejo que vem de seu próprio ser, se não o tem como um ideal que lhe permite manter-se apesar de qualquer frustração, uma perseverança exercitada e férrea que está disposta a atingir seu objetivo; tudo o que foi dito não alcançará nenhum propósito que o transforme e permita que você cresça na sua escrita.

Achava que era impossível andar tanto devido ao meu físico, mas a calma em andar, desenvolvendo uma estrutura no meu dia a dia, apoiando-me nos colegas e me identificando com meu objetivo tornou essa conquista possível. Este desafio não é menor para uma criança com dislexia, mas seguindo esta mesma ação descrita nas estratégias, permite um avanço em sua alma e em seu desenvolvimento; porque se dá conta de que não há impossibilidades, apenas um espírito forte que pode ser tomado e desenvolvido sendo estratégico e simples em seus objetivos.

Estabelecemos nossos limites e nós mesmos somos capazes de estendê-los.

Você pode ler mais artigos semelhantes a O grande desafio da criança com dislexia para a escrita, na categoria de redação no local.


Vídeo: Mitos e Verdades sobre o TDAH. Luis Rohde. TEDxUFRGS (Julho 2021).